Internacional - 15/11/2017 - 10:42:50

 

Coreia do Norte classifica discurso de Trump como 'declaração de guerra'

Coreia do Norte classifica discurso de Trump como 'declaração de guerra'

 

Da Redação com EFE

Foto(s): Reprodução

 


A Coreia do Norte qualificou nesta quarta-feira (15) como "declaração de guerra" o duro discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante a visita, na semana passada, a Seul, no qual criticou as condições de vida dos norte-coreanos.

"Os imprudentes comentários soltos por Trump durante a excursão não podem ser vistos de outra maneira que a confirmação da hostilidade da Casa Branca contra a RPDC (sigla da República Popular Democrática da Coreia, nome oficial da Coreia do Norte), e como uma declaração de guerra", afirmou hoje o Rodong Sinmun, principal jornal do país.

O texto, que classifica o presidente americano como "depravado" e "velho escravo do dinheiro", assegura que ele "foi ridículo ao manipular a realidade" e "soltar todo tipo de maldições", durante o discurso de 22 minutos na Assembleia Nacional de Seul no último dia 8 de novembro.

Durante uma dura intervenção, o presidente americano denunciou as violações de direitos humanos na Coreia do Norte e se dirigiu ao líder norte-coreano, Kim Jong-un, para dizer-lhe que se o seu avô - Kim Il-sung - buscava criar um paraíso, "o país acabou se transformando no inferno".

Apesar do ataque direto, o governo norte-coreano não respondeu às palavras de Trump até o fim da viagem à Ásia, que incluiu o Japão, a China, o Vietnã e as Filipinas.

O artigo do jornal Rodong assegura que a Coreia do Norte "observou com paciência os ridículos atos de Trump até o final".

O texto destaca ainda que o líder da Casa Branca foi condenado à morte na Coreia do Norte por vários crimes como "profanar a dignidade" do regime e por "soltar toneladas de lixo para pintar de maneira muito obscura a vida feliz dos moradores da Coreia".

A visita de Trump à Ásia foi marcada por tensões com a Coreia do Norte e o apelo à comunidade internacional para que esteja unida na hora de condenar e pressionar o regime norte-coreano a pôr fim ao programa nuclear e de mísseis.

As referências do político republicano à Coreia do Norte foram constantes. Ele chegou, inclusive, a chamar Kim Jong-un de "gordo e baixinho", sem que os meios de comunicação oficiais do país tenham respondido até agora a essas declarações.

Após um ano de repetidos testes de mísseis, a Coreia do Norte não lança um único projétil desde 15 de setembro, quando disparou um míssil de alcance médio que sobrevoou o Japão.

 



;

O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na Assembleia Nacional da Coreia do Sul

O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na Assembleia Nacional da Coreia do Sul

Turismo SBC


Últimas Notícias




Atirador de Campinas trabalhou como auxiliar da Promotoria de SP


Maioria do TSE rejeita ação do PT contra Bolsonaro


Luiz Marinho recebe R$60 mil via caixa 2, diz Grupo CCR


Nunca mais seremos um país socialista, diz Eduardo Bolsonaro à Fox News


Câmara de São Caetano aprova saída do Consórcio Intermunicipal


Gleisi Hoffmann, em "ato falho", entrega quem é proprietário do sítio de Atibaia